Gestão Sistêmica – Diretrizes, Sistema Operacional, Pessoas

Com a correria do dia a dia, não pensamos e consequentemente não realizamos nosso trabalho de forma sistêmica e deixamos de fazer a diferença.

O Dia a dia agitado, centenas de e-mails, ligações, compromissos, clientes sempre com urgência, prazos que precisam ser cumpridos, projetos que precisam ser acompanhados, isso tudo acaba tomando nosso tempo e quando percebemos, o final do dia chegou e não sobrou tempo para pensar e trabalhar em assuntos importantes para incremento dos negócios.

Posso afirmar, que essa tem sido a realidade de muitas empresas, os assuntos diários ocupando espaço daquilo que realmente faz a empresa crescer e prosperar. Independentemente do tamanho de seu negócio, uma visão sistêmica associada a um bom método de controle e acompanhamento pode fazer uma grande diferença nos resultados da sua empresa.

Planejamento (Diretrizes e Estratégias)

Um bom planejamento precisa ser composto de duas abordagens: qualitativa e quantitativa.

Na abordagem qualitativa é preciso ao menos definir os objetivos da empresa, realizar uma análise SWOT, avaliar os cenários, o ambiente externo e interno, definir as estratégias de marketing, RH, enfim, um modelo de negócios plausível e que esteja alinhado à realidade da empresa.

Na abordagem quantitativa é necessário elaborar um orçamento mais detalhado para o ano seguinte e uma previsão macro para os próximos 5 anos. Também é necessário definir as metas para cada um dos objetivos traçados. Ao elaborar o orçamento é que surgem questões importantes a serem avaliadas, como definição de centros de custos, critérios de rateio, avaliação de custos dos produtos e serviços comercializados, definição de volume e preço de vendas e também os investimentos a serem realizados no período. É através dessa avaliação que é possível planejar a lucratividade da empresa e garantir sua viabilidade.

Sistema Operacional

De nada adianta um bom planejamento se durante sua execução não existir um bom método de acompanhamento e gestão que permita garantir a realização do plano e ações, medir os resultados, avaliar sua eficiência, definir novas ações que viabilizem o atingimento das metas e também, quando necessário, replanejar. Sim, porque um bom planejamento é “vivo” e vai se adequando a ajustando a medida que vai sendo realizado.Uma questão que requer uma atenção especial é a elaboração de uma boa política de medições muito alinhada aos objetivos estratégicos. Através das medições é que é possível avaliar se as estratégias estão sendo eficazes para o atingimento dos objetivos. Permite que sempre que identificados desvios nos resultados esperados, sejam elaboradas ações que reconduzam o negócio e viabilizem as metas traçadas.

Como diziam Kaplan e Norton: “O que não é medido não é gerenciado”.

Pessoas

Na minha opinião o fator mais desafiador para qualquer empresa “construir uma equipe de alto desempenho” e isso faz toda a diferença no atingimento dos objetivos. De nada adianta um bom Planejamento (Diretrizes e Estratégias) e um Sistema Operacional adequado se as pessoas não estiverem motivadas e comprometidas. Os planos, métodos e infraestrutura podem prover as condições adequadas para execução das atividades, mas quem as executam são as pessoas. São elas que estão diante do cliente, liderando projetos, responsabilizando-se por resultados, buscando o crescimento da empresa e consequentemente seu crescimento pessoal.

Muitas empresas acreditam que apenas bons salários motivam. Mas a real motivação não provém unicamente da remuneração. É necessário que cada um saiba seu papel, seu objetivo e suas responsabilidades, enfim, o que a empresa espera dele. É preciso implementar a cultura de dar e receber feedbacks sobre o desempenho, pois assim é possível melhorar, crescer e prosperar.

Cada indivíduo é único e possui seus próprios anseios, dificuldades e objetivos. Entender cada um e proporcionar meios para seu crescimento é a forma que a empresa possui de criar um ambiente motivador e que ao mesmo tempo proporcione os melhores resultados para o negócio.

Por fim, o desenvolvimento de lideranças, que conquistem o respeito equipe e trabalhem de acordo com as diretrizes e estratégias da empresa, fazem com que todos busquem o resultado coletivo.

Com esses três fatores bem definidos e alinhados o sucesso da empresa está assegurado, basta a cada gestor priorizá-los e torná-los cultura dentro da organização.